Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Vila Franca - Mais que um quarteto, a música tocou-se a duo!

  • 2021-10-03 03:09
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


A Praça de Touros Palha Blanco, recebeu na noite deste sábado, uma corrida de touros, com cartel composto pelos diestros António João Ferreira, Nuno Casquinha, Joaquim Ribeiro ‘Cuqui’ e João Diogo Fera.
Lidou-se um curro de toiros da ganadaria Oliveira Irmãos, estando o tauródromo com uma lotação preenchida que rondou a meia casa da lotação completa.
Prestou-se homenagem a quatro matadores de touros de Vila Franca: José Falcão, José Júlio, Mário Coelho e Vítor Mendes.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

A Praça de Touros Palha Blanco, em Vila Franca de Xira, continua a sua cruzada pela defesa do toureio a pé, colocando-se ao lado de outros tauródromos, cuja vertente amada, é assumida, como o caso da Moita.
Diferente não poderia ser, pois Vila Franca é importante em génese de toureiros, sendo quase que uma 'estufa' que ao longo dos anos, vai dando as suas colheitas.

Homenageou-se a título póstumo, José Falcão, José Júlio e Mário Coelho e também, Vítor Mendes, que apesar de ter nascido em Marinhais, foi adoptado e bem, pela referida localidade.
A Tauroleve a mostrar-se reconhecedora dos méritos e feitos dos seus conterrâneos.

Prova de tudo o que acabo de escrever, é a excelente lotação conseguida: meia casa da lotação completa e um ambiente selecto e evidentemente diferente de 'outros'...
O que se viveu, foi uma autêntica exaltação ao toureio a pé, tendo os brindes da noite, variado entre os toureiros homenageados e suas famílias, bem como, ao matador de toiros Eduardo Oliveira.

O curro de Oliveira & Irmãos, complicou e condicionou o espectáculo, com a maioria dos toiros a desenvolver um comportamento perigoso e que não era 'indicado para meninos', contudo, houve lotes piores que outros e o de Casquinha, era realmente escasso em potabilidade.
No entanto, realce-se a apresentação do curro, com toiros de elevado e rigoroso trapio.
O sétimo touro foi premiado com volta à arena.

Oito toiros oito, para quatro matadores de toiros: António João Ferreira, Nuno Casquinha, Joaquim Ribeiro Cuqui e João Diogo Fera.

Começamos por Nuno Casquinha, o 'tal' do lote complicado... Casquinha destacou-se em bandarilhas frente ao primeiro do seu lote, com um ou outro pormenor de capote no lote, mas de muleta, provou, testou e abreviou.

João Diogo Fera, debutava em Vila Franca e debutar em Vila Franca, não é qualquer coisa... Quando o público não gosta, não cala e diz, sendo que esse facto, age e e faz reagir com 'efeito bola de neve'. Os toureiros acusam a pressão e mesmo que valor haja, as coisas já dificilmente resultam.
O público acarinhou Fera no capote frente aos dois do seu lote (o segundo foi o sobrero), mas, não permitiu que a música tocasse no segundo, protestando uma evidente má decisão do Director de Corrida.
Passagem com pouca história.

Na verdade, a corrida de Vila Franca e agora feitas as contas, ficou um duelo directo entre Ferreira e Cuqui.
Ambos estiveram bem num toiro e muito bem noutro, sendo que no entanto e em abono do rigor, o lote de Cuqui foi mais potável que o de António João Ferreira.
Coisas da sorte ou azar, mas, naquilo que não se manda, é na qualidade de cada um e sobretudo, naquilo que vem no ADN... a capacidade de ser artista.

António João Ferreira, conseguiu os seus melhores momentos frente ao segundo do seu lote, mas que 'pronto' se racharia. Contudo, as primeiras quatro séries, foram do outro mundo e com uma beleza à qual não se coloca defeito.
Os pulsos de Ferreira acompanham a mente e as séries por ambos os pitons, foram de facto incríveis.

Cuqui também brilhou em 'dobro' frente ao segundo do seu lote. Faena muito completa, poderosa e com timbre muito artístico. Cuqui tem recursos e reportório, colocando-o em prática com facilidade. Toureio em redondo, circulares, passes de peito e... um triunfo.

Em bandarilhas houve pares destacados, comos os de Joaquim Oliveira, Cláudio Miguel e João Ferreira, este último a saudar.

O espectáculo foi dirigido pelo Delegado Técnico Tauromáquico João Cantinho, assessorado pelo médico veterinário, José Guerra.

Nota: A literal volta à arena foi negada a João Ferreira frente ao primeiro, numa questão incompreensível. O regulamento ou as regras impostas, parecem não ser iguais em todos os tauródromos...

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0