Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Festival matinal em Santarém – Mais do mesmo… pouco!!!

  • 2018-03-24 20:01
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se hoje à tarde, na Monumental Celestino Graça, um Festival com reses de diversas ganadarias e actuações de Gonçalo Fernandes, Salgueiro da Costa, Parreirita Cigano, Luís Rouxinol Júnior, David Gomes e Ricardo Cravidão.
As pegas estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores do Ribatejo, Montijo, Azambuja, Moura, Aposento da Moita e Coimbra.
Pouco público e tempo chuvoso, são duas das notas dominantes do espectáculo.
CRÓNICA DO FESTIVAL
GALERIA FOTOGRÁFICA

Uns dizem que se destacaram fulano e beltrano… fantasias de uma festa onde continua a imperar a crónica ‘encomendada’, tanto assim é, que se escreve sob a batuta do pai, do apoderado, etc. e tal…

Justa ou não, vale e tem de valer a crónica de quem pode argumentar porque viu. Certo?

Haja respeito, haja verdade, desmascarem-se estes jogos de bastidores e bigodes farfalhudos de quem quer mandar na Festa empobrecida por jogos de bastidores.

Difícil seria arrancar triunfos no festival matinal de Santarém, onde a causa era nobre, mas o público não compareceu. Moral por aí a baixo e fez-se o que se pode para ‘agarrar’ a atenção dos que ‘suportaram’ o frio e de quando em vez, a chuva…

Ajudou e muito, a Banda de Pedrógão, boa, mas boa…

Triunfos, repito, não houve!

Boa actitude de Gonçalo Fernandes, com um manso, a contornar com dignidade as dificuldades impostas pelo oponente. Salgueiro da Costa crava dois bons curtos e Parreirita, destaca-se como de resto é costume, aquando dos derradeiros curtos. Rouxinol Júnior andou asseado, David Gomes a impor-se na brega e Cravidão, com as arestas ‘brutas’, naturais de quem dá os primeiros passos.

Importa referir, que as lides das reses de Silva Herculano, Pinto Barreiros, Santos Silva, Fernandes de Castro, Passanha e Cochicho, decorreram em tom morníssimo… entende-se?

As pegas estiveram a cargo dos Amadores do Ribatejo, por Ricardo Jorge ao primeiro intento; Amadores do Montijo, por José Pedro Suiças, também ao primeiro intento, bem como David Mouchão, a igual tentativa, pelos de Azambuja.

Pelo Real Grupo de Moura, houve tentativa de cernelha, não concretizada desta forma, sendo efectivada de caras, por Rui Ameixa, ao seu primeiro intento; pelos do Aposento da Moita, foi na linha da frente, João Gomes, à terceira tentativa e Coimbra, concretizando o cabo Pedro Silva, substituindo o inicial Pedro Cazalta.

Dirigiu Lourenço Luzio, coadjuvado pelo médico veterinário José Luís Cruz.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0