Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Vila Franca - Santa Maria não te rales...

  • 2017-10-06 01:14
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se ontem à tarde, na Praça de Touros Palha Blanco, uma corrida de touros com cartel composto pelos cavaleiros Ana Batista e Francisco Palha, Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca e os diestros Nuno Casquinha e Juan Leal.
À arena, sairam toiros das ganadarias de Passanha, Grave e Pontes Dias, tendo o tauródromo registado cerca de um terço de entrada.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

É uma expressão muito utilizada no Alentejo, ou não fossem os alentejanos, indivíduos pacatos e a quem, muito poucos conseguem tirar do ‘sério’… ‘Santa Maria não te rales…’, é um dito popular, que, cabe ora melhor que nunca, no ‘caso’ Vila Franca…

Quase um trocadilho, diria que, uma quase certeza, se é que a certeza tem lugar a aproximações… diz-se, que nos toiros de Santa Maria e na sua negociação, esteve todo o cerne da questão vilafranquense… sim, curro ‘cativado’ por outro tauródromo de postím, empresário Paulo Pessoa a fazer o ‘jeitinho’ e resultado… uma literal ‘trampa’ e desculpem-me a expressão pouco elegante, sobretudo para as senhoras…

O ambiente foi hostil e isso percebia-se logo à entrada de Vila Franca… soubemos na ocasião, que a corrida teria sido adiada uma hora, ou seja, que em vez do marcado início para as 17 horas, começaria às 18 horas… mas não, começou exactamente às 18h11 minutos, ainda que sem a presença do veterinário na tribuna da Direcção, ao que parece, a assistir à derradeira embolação.

Tudo muito em cima do joelho e público já farto à nascença. Três ganadarias distintas, e a sensação de que a coisa poderia não ser de sucesso… outra vez!

Sai à arena o primeiro Passanha, de lide aceitável pelos dois ginetes e bons ferros de ambos, numa actuação em crescendo.

Os Graves, bem rematados de carnes, deram jogo emocionante e apesar do primeiro ser premiado com volta à arena, houve quem não concordasse, dando nota de que o toiro investia ‘encastado’, mas que não gozava exactamente de bravura. A verdade é que, contribuiu em muito para o sucesso da dura lide de Ana Batista, que, valente como as armas, aguentou uns violentos toques na montada, e aguentou BEM! Terminou com curtos de franca boa nota e uma muito desfrutada volta à arena.

Francisco Palha enfrentou-se com um ‘toiro do género mas em pior’, ou seja, transmitiu, deixou-se e nalguns momentos até pareceu ‘comestível’, ainda assim, andou com um coração do tamanho do mundo e nalguns momentos, pareceu actuar como se não houvesse amanhã… O primeiro comprido foi soberbo, os últimos curtos, também.

Além das boas prestações equestres, houve também boas e rijas pegas. Três pegas para os Amadores de Vila Franca e um susto dos ‘tais’… Guilherme Dotti pegou ao primeiro intento, sendo que a segunda foi tentada por David Moreira e concretizada por Francisco Faria, ao segundo efectivo intento. Moreira caiu desmaiado no solo, motivando a preocupação de todos, felizmente, tudo não passou de um susto. A terceira pega da tarde, foi consumada por Vasco Pereira, à segunda tentativa.

A corrida era mista e por isso, em cartel, Nuno Casquinha e Juan Leal…

Os toiros lidados foram de Pontes Dias e aqui, ‘azar dos diabos’ que os toiros não serviram… Casquinha cumpriu sobretudo em capote e bandarilhas, chegando a dividir o turno do segundo toiro, com Pedro Gonçalves, deixando também ele de boa forma os ‘palos’ correspondentes.

Na muleta, Casquinha andou como pôde, bem, digno, mas sem alardes ou possibilidades de triunfo.

Juan Leal… enfim, Juan Leal poderá quiçá ser um toureiro promissor, mas que surge em Vila Franca simplesmente, sem matéria para isso… O público não o conhece e talvez por isso, não tenha ido ao tauródromo. Faltou neste sector, um nome com força e com mais ofício… Duas faenas sem história e um percalço aparatoso do jovem diestro, que, felizmente não registou consequências.

Os toiros do lote de Leal, foram bandarilhados com efectividade, por João Pedro e João Oliveira.

O sétimo exemplar da muito longa tarde de toiros, apresentou evidente escassez de força, sendo substituído por um ‘comboio’ da mesma ganadaria… Mais quinze minutos à espera, mais protesto…

Como nota de rodapé, frisar ainda que Nuno Casquinha, brindou a sua segunda lide a Paulo Pessoa de Carvalho, ouvindo o empresário, na ocasião, uma monumental vaia.

Dirigiu com critérios ‘estranhos’, o Sr. João Cantinho… Música cedo nalguns casos, música tardia noutros… voltas que não as concederia, não pondo lenço e que afinal resultaram em voltas…

A Praça de Touros Palha Blanco, registou cerca de um terço de entrada, em tarde calorosa.

'Santa Maria não te rales', que amanhã o Portugal das touradas já se esqueceu...

Meteorologia